A atuação do piache nas narrativas Pemón como uma via para a prática de interseções diversas

Tema: Oralidad y escritura

Título: A atuação do piache nas narrativas Pemón como uma via para a prática de interseções diversas

Nombre: Elda Firmo Braga; Paulo José Brando Santilli

Institución: UERJ/UNESP/UNICAMP; UNESP

 

Resumen:

Esta proposta busca contemplar narrativas que formam parte de um acervo pertencente à tradição cultural dos Pemón, povos indígenas presentes na Venezuela, Guiana e Brasil. Privilegiamos, aqui, textos literários recopilados por Cesario de Armellada, publicados nos livros "Tauron Panton I" (2013), "Tauron Panton II" (2012) e "Cuentos y no cuentos – Panton, Panton Neke-ré" (1988). Visamos refletir acerca da representação literária do piache, uma espécie de xamã; levando em conta, especialmente, as diversas interseções que constrói e sua atuação como (re)criador de elos que transgridem uma visão limitada de fronteira ainda vigente. Por ser herdeiro e portador de uma sabedoria ancestral e responsável pelos cuidados com a saúde física e espiritual de seu povo, o piache é uma figura importante e influente em sua comunidade. Possui uma ampla e profunda ligação com o âmbito do sagrado e esta relação privilegiada lhe confere habilidades especiais que lhe permitem transitar por diferentes “planos de realidade”. O piache é capaz de se deslocar tanto temporalmente – presente e passado, presente e futuro – quanto espacialmente – terra e céu, terra e espaço subterrâneo ou subaquático; penetrar no mundo dos mortos e retornar vivo; utilizar uma linguagem secreta para estabelecer uma comunicação direta com distintas espécies da natureza, seres sobrenaturais e divindades. Para a reflexão proposta, contamos com o apoio de estudos antropológicos acerca dos Pemón e sua cosmovisão, como os de Koch-Grunberg (s/d); e com obras que tratam da relação entre humano e sagrado como as de Eliade (1981; 2009), Llamazares; Martínez Sarasola (2004); e Burkert (2009).